Lumberjacks

Primeiro Acto – Um Jogo
Tudo começa com a simples vontade de jogar Futebol Americano.
O projeto dos Lumberjacks inicia-se em Paços de Ferreira em 2008.
Um antigo jogador do Porto Renegades decide levar o desporto para a sua cidade e no “ervado” da Agrária os Lumberjacks dão os seus primeiros passos.
Já com um número razoável de jogadores dá-se mais um passo na evolução da equipa: alguns jogadores ex-Renegades trocam o projeto portuense pelos Lenhadores.
Em 2009, dá-se a mudança para o Concelho de Paredes.
Com jogadores e uma casa os Lumberjacks entram na Liga Portuguesa de Futebol Americano.
Os dois anos seguintes dos Lumberjacks coincidem também com os primeiros anos da competição em Portugal. São anos de experiência e novidade onde o grande foco era ter atletas suficientes para competir.

Segundo Acto – Uma Equipa
No final da segunda época, todos os jogadores de fora do Vale do Sousa deixam a equipa. Em Paredes a equipa esteve bastante perto da extinção. Sobram apenas 8 atletas e alguns equipamentos.
Com uma nova direção, o foco deixa de ser apenas ter jogadores para competir, mas sim criar raízes no concelho através da formação e divulgação.
O Objectivo: Criar um núcleo forte para que a equipa não se volte a desmoronar.
São adoptadas as cores do clube, o amarelo e o marron e começa o processo de consolidação dos Lumberjacks, desportivamente e estruturalmente.
Os Lumberjacks assumem-se como a principal escola de Futebol Americano do país apostando fortemente na formação de jovens. Aliada a uma consistente captação de novos atletas para a equipa principal, são ainda reunidas condições para a contratação de atletas estrangeiros com larga experiência no desporto.
Em 5 anos são lançadas fundações sólidas para que os Lumberjacks possam prosperar.

Terceiro Acto – Um Clube
Com a estabilidade desportiva e com uma gigantesca evolução do Futebol Americano Português torna-se evidente a necessidade de evolução da estrutura da Associação.
Existe uma necessidade de “profissionalização” na organização e nos processos.
Torna-se evidente que a única forma de competir com as equipas dos grandes centros urbanos é:
Transformar Paredes na Capital Portuguesa do Futebol Americano e os Lumberjacks numa referência Europeia em termos de Organização, Formação e Gestão de Imagem.
Mais do que amigos a jogar o desporto, mais do que uma equipa sólida, um Clube, uma Instituição, uma Marca.